Dicas de Saúde

Reabilitação pós COVID-19

Você sabia que grande parte das pessoas que se curam do Coronavírus sofre redução da capacidade pulmonar, essa que é caracterizada pela falta de ar e cansaço? Se você foi curado, mas está sentindo esses sintomas, continue a leitura que iremos te explicar quais são os procedimentos que deverão ser realizados. 

Reabilitação dos pacientes após COVID-19 

A reabilitação dos pacientes após serem acometidos por COVID-19 é multidimensional e, desta forma, multiprofissional. Cabe ao fisioterapeuta respiratório  avaliar individualmente cada caso, conhecer o contexto e a evolução dos pacientes durante a fase ativa da doença, e a partir disso, realizar as avaliações necessárias ao planejamento terapêutico. A avaliar a função pulmonar do paciente nos aspectos do volume pulmonar, da permeabilidade das vias aéreas, mobilidade da caixa torácica, da eficiência da tosse e da força muscular respiratória irão mostrar um panorama das sequelas funcionais respiratórias que deverão estar no foco do planejamento das condutas.

A capacidade funcional de exercício e desempenho motor também deverão ser avaliados, pois o paciente pode apresentar comprometimentos nos sistemas musculoesqueléticos e neurológico que afetam a capacidade funcional de exercício e o desempenho das atividades motoras de rotina diária. Dependendo de como foi a gravidade do acometimento da COVID-19, o paciente poderá estar dependente de cadeira de rodas e de cuidadores na fase inicial de recuperação após a alta hospitalar.

A análise inicial e reavaliações sequenciais deste conjunto de componentes irá delimitar o plano de tratamento do paciente.  Desta forma é possível traçar objetivos e condutas de aplicação imediata e de médio a longo prazo, possibilitando condições o retorno pleno às funções do dia-a-dia. São condutas do fisioterapeuta para reabilitação após COVID-19:

  1. Tratamento do comprometimento funcional nos pulmões: logo após a alta hospitalar, o paciente pode apresentar falta de ar e redução da oxigenação periférica, associada ou não à presença de secreção pulmonar. Alguns pacientes podem sair do hospital usando uma traqueostomia. Nestas condições o fisioterapeuta respiratório irá utilizar de recursos de  pressão positiva para reexpansão dos pulmões, melhorando a oxigenação e reduzindo a sensação de dispneia. Também poderá utilizar outros recursos e técnicas para remoção de secreções e participar dos cuidados e processo de desmame do uso de prótese ventilatória.
  2. Tratamento do comprometimento da função muscular respiratória: a força muscular respiratória pode estar comprometida nos pacientes após afecção por COVID-19. Os músculos da inspiração, como o diafragma, devem ser treinados pelo fisioterapeuta respiratório, após avaliação específica deste componente. Para o treinamento calcula-se a carga de maneira individual e com o uso de equipamentos específicos pode-se progredir na melhora deste importante componente funcional. A melhora da força muscular respiratória reduz a sensação de falta de ar aos esforços e contribui de maneira significativa para a recuperação da função pulmonar e da capacidade funcional de exercício. 
  3. Tratamento da capacidade funcional de exercício e desempenho motor: Cada paciente poderá apresentar limitações da sua capacidade funcional de exercício e desempenho motor.  Desta forma, uma avaliação criteriosa do componente muscular, cardiopulmonar e de controle motor deve ser realizado para programar o treinamento. Este treinamento inclui fortalecimento muscular específico e individualizado, melhora da capacidade cardiopulmonar e aeróbia ao esforço e reorganização do controle motor para desempenho das suas atividades funcionais e de rotina na vida diária. 

Sendo assim, quanto mais rápido o paciente buscar um fisioterapeuta especializado, melhores serão os resultados. Objetivos da reabilitação respiratória após COVID-19 Compreendemos que o fisioterapeuta atuará realizando uma reabilitação pulmonar, além de realizar exercícios respiratórios, proporcionando ao paciente mais saúde, onde ele poderá voltar a realizar atividades normalmente. Mas dentre elas estão os objetivos a serem trabalhados, que são: 1. Melhorar os sintomas de dispneia (falta de ar), aliviar a ansiedade, prevenir e reduzir as incapacidades e melhorar a qualidade de vida; 2. Desenvolver um plano de reabilitação respiratória e motora de acordo com as demais comorbidades do paciente. Inicie já o seu processo de reabilitação respiratório.

O processo de Reabilitação com a presença do Fisioterapeuta Respiratório após COVID-19 é essencial. Deve ser realizado de maneira precoce, criteriosa, científica e individualizada!

Agende sua avaliação, clique aqui. 

Previous Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *